Sobrevivendo ao Verão!

7.3.2017

Há quem diga que o verão é a melhor estação do ano. Outros não suportam nem pensar. Mas a verdade é que, gostando ou não, o verão é uma época em que os prédios, principalmente suas fachadas, precisam estar preparados para suportar o calor e as intempéries da temporada. Sendo assim, seguindo o tema do mês, resolvemos falar um pouco sobre dicas de revestimento que amenizam o clima interno do prédio, com o extra de serem bonitos e resistentes.

            Hoje em dia existem inúmeras soluções para quem quer fugir do calor, com as mais variadas aparências e custos. Antes do apelo estético é de incontestável importância avaliar: a cor do revestimento, que de preferência deve ser clara; o material com qual o acabamento foi desenvolvido, preferivelmente a base de materiais não condutores de calor; e sua forma de instalação, que também pode ser uma alternativa de extrema eficiência, como no caso das fachadas ventiladas.

            Um tipo de revestimento que vem ganhando muito espaço e promete ser o queridinho dos especificadores é o revestimento à base de PVC. A variedade de padrões é incontável: amadeirados, aço corten, mármores, pedras, concreto, carpete e por aí vai. As vantagens também são inúmeras: facilidade na hora da limpeza, baixa condução de calor, boa resistência a impacto, etc. Sua indicação é feita não somente para uso de fachadas como também para revestimento de piso para áreas internas e externas. Todavia, não podemos esquecer de falar das alternativas tradicionais, que também são uma boa opção e não deixam de ter o seu charme. 

Siding Vinílico , acabamento em PVC - Autor Desconhecido 

            A mais comum, mas não menos bonita, é a pintura texturizada, que é a opção mais utilizada no Brasil. Entretanto, apesar de seu baixo custo, demanda uma manutenção maior, principalmente se for utilizada em paredes descobertas, pois ao contato diário com sol e chuva, se comparada a outros revestimentos, possui uma vida útil baixa. Agora, se você gosta muito de texturas, existe um tipo, a base pedras e massa acrílica lixada, chamada Terracor, que apesar de seu custo mais elevado tem maior duração e resistência à ação do tempo.

 Casa de Campo - Kenia Miranda

             Logo atrás no ranking, vêm as pedras naturais. São extremamente recomendáveis, tanto pela baixa necessidade de manutenção quanto pela alta resistência ao clima. Isso sem falar em sua beleza. Porém, o que na maioria das vezes inibe algumas pessoas de comprar é o seu custo, assim como o de sua aplicação, pois necessita de mão de obra especializada, o que acaba assustando algumas pessoas.  Todavia, ainda assim, colocando na ponta do lápis ainda é uma das alternativas mais viáveis.

 Casa na quinta da Baronesa - Débora Aguiar

            Por fim, mas não menos importante, o tijolinho. Além de seu charme e aconchego, tem várias opções de acabamento: marmorizado, polido, fosco, rústico; e de aplicação: junta seca, junta cheia, junta frisada, contrafiado, na horizontal, na vertical, etc. Ocupa o primeiro lugar no nosso pódio, pois une beleza, resistência e baixa manutenção, além de ter várias faixas de preço.

De qualquer forma, na hora de escolher qualquer opção que seja, não existe certo ou errado. Eleja a opção que atenda ao seu bolso e à sua necessidade. E não esqueça de consultar um profissional especializado para viabilizar sua escolha.    

 Casa de campo Olaria - Vitor Penha

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags