Cor sem Gênero

10.4.2017

 

     O ano está voando! Outubro bate à porta e com ele chega o mês rosa. O movimento que foi oficialmente iniciado neste mesmo mês no ano de 1990, promove ações direcionadas a conscientização e prevenção do Câncer de Mama através do diagnóstico precoce e bobo é o homem que pensa que este é um fardo único e exclusivo de mulheres. Apesar de rara em homens, a doença não elege seus portadores pelo gênero. Portanto, escolhemos para esta semana ambientes que fujam de tradicionalismos e que usem as cores e acabamentos sem que eles sejam definições para gêneros, estimulando não somente as mulheres como também os homens a se prevenir desta doença.

 

    Frequentemente, desde que nos entendemos por gente, rosa é cor de menina e azul é cor de menino. Mas por quê? Cores não foram criadas para definir gêneros e segregar homens de mulheres, mas sim para proporcionar sensações e representar personalidade. Cada vez mais vemos que grandes empresas de moda e decoração vêm investindo em produtos “genderless”, que nada mais são do que produtos que não foram desenvolvidos exclusivamente para mulheres ou para homens, mas sim para os dois. Por que não usar rosa para o quarto de um homem? Por que não usar e abusar de azul ou verde para o escritório de uma mulher?

 

     Além das cores, temos acabamentos e estilos que freqüentemente são atrelados a gênero: cimento queimado, acabamentos mais rústicos ou com aparências mais brutas e industriais são geralmente denominados masculinos. Já tecidos delicados como veludo ou camurça, cores claras, acabamentos mais refinados, dourado e vidros são considerados femininos.

 

     Contrariando esta ideia, temos um lounge que une à rusticidade das paredes mal acabadas à sensível textura do veludo molhado rose, onde a composição ganha um contraste através do verde das plantas e de algumas das cadeiras, quebrando a sobriedade das cores e dando muita vida ao ambiente, que é arrematado com os detalhes em latão dourado.

 

     Já neste quarto feito pelo Studio Guilherme Torres, o projeto traz uma escala de cores que se sobressai quando combinada ao tom neutro do amadeirado que compõe as paredes do ambiente. O acabamento serviu como uma tela em branco para os detalhes multicoloridos escolhidos para ambientar o espaço. Simples e cheio de estilo e personalidade.

 

     E quem disse que quarto de menino não pode ser rosa? Este projeto traz o rosa como cor destaque e através do fundo em branco, e os detalhes cinza e amadeirados ganha muito estilo e descontração.

 

     Portanto, está mais do que claro que as possibilidades são inúmeras e que não devemos ter medo de ousar. Sair do tradicional, combinar cores que comumente não são combinadas, ou usá-las em situações que você jamais usaria. O importante é escolher algo que te represente!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags