O retorno do “Granilite”

5.10.2018

 

  Lembra daqueles pisos muito usados na década de 40, cheios de pontinhos que hoje olhamos e pensamos “parece piso de casa de vó”? É ele, o granilite.  Ele voltou e agora é uma das tendências dentro de residências e ambientes comerciais.

    O Granilite, chamado assim por ter grânulos de mineiras, como o quartzo, mármore, calcário e granito, tem como base: cimento, areia e água. Devido a isso, possui alta durabilidade e resistência, e é muito usado em locais de bastante fluxo de pessoas. 

 

 Esse revestimento pode ser encontrado de duas formas: o polido e o fulget. A diferença do polido está na raspagem mecanizada que é feita na superfície, deixando o acabamento liso, sendo depois encerado ou impermeabilizado com uma resina apropriada. Esta traz um acabamento liso e impermeável, às vezes ficando escorregadio quando molhado. Por isso, é mais usado em ambientes internos. Já o fulget tem a textura oposta, sendo mais áspero e usado em áreas externas, como halls de entrada, calçadas e áreas de piscina.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   Hoje em dia esse revestimento está vindo com uma releitura super contemporânea e descolada, sendo utilizado não apenas em pisos, mas também em paredes, móveis, bancadas, vasos, etc... Existe ainda uma boa alternativa, que se deve ao lançamento dos porcelanatos com "cara" de granilite. As grandes marcas do setor vieram com tudo, e quase todas investiram nessa tendência com uma variedade enorme de padronagens.

 Instalação The Brutalist Playground, concebida pelo coletivo Assemble e pelo artista Simon Terrill.

 

  O uso desse material, assim como o cimento queimado, pode dar um ar rústico, mas também super moderno. Deve-se também lembrar sempre que os revestimentos com desenhos marcantes, em geral, são um pouco cansativos, e por isso devem ser evitados.

  Que tal, vamos aderir a volta do granilite?

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags